Translate

sábado, 14 de janeiro de 2017

Otan tem 'maior reforço desde a Guerra Fria' após investimentos militares da Rússia

Kremlin diz que envio de tanques à Polônia representa ameaça a segurança do país; decisão veio após anexação da Crimeia
Opera Mundi, 
Líderes da Otan em reunião na sede da organização, em Bruxelas, na Bélgica / Wiki Commons
Cerca de 3 mil soldados norte-americanos, 80 tanques e material pesado de guerra chegaram nesta quinta-feira (12/01) à Polônia vindos da Alemanha para reforçar o flanco oriental da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), representando a maior demonstração militar dos Estados Unidos na Europa desde a Guerra Fria.
A decisão foi tomada pelo órgão no ano passado depois da anexação russa da península ucraniana da Crimeia em 2014. "É uma resposta de toda a Aliança para manter a paz e a estabilidade e a segurança de todos os aliados", afirmou o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, que acrescentou que a Rússia "investiu significativamente em suas forças armadas, em capacidades militares", e que demonstrou que "quer usá-las contra seus vizinhos, como a Geórgia e a Crimeia, além de apoiar separatistas no leste da Ucrânia".
"Por isso, respondemos e com o maior reforço desde a Guerra Fria", afirmou. Segundo o secretário-geral, com esse esforço de "dissuasão e defesa coletiva não provocamos um conflito, mas o prevenimos".
A Otan ainda pretende enviar em abril quatro batalhões multinacionais integrados por 600 a 1.000 militares e sob o comando da Alemanhã, Canadá, EUA e Reino à Polônia, Lituânia, Letônia e Estônia.
Para o governo russo, a ação é vista como uma ameaça. “Qualquer país terá uma atitude negativa diante do aumento da presença militar estrangeira junto a suas fronteiras. Além disso, é um terceiro país que aumenta a presença militar em nossas fronteiras. Não é um país europeu", destacou Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin.
“São ações que representam uma ameaça para nossos interesses e nossa segurança", disse Peskov em declarações à imprensa russa.
Os militares norte-americanos ficarão em cinco localidades do oeste da Polônia: Zagan, Drawsko Pomorskie, Skwierzyna, Swietoszow e Boleslawiec. Junto às tropas polacas, participarão de um exercício militar no final de janeiro, no contexto da política de contenção da Rússia no Leste Europeu.
(*) Com Efe e Sputnik