Translate

sexta-feira, 24 de março de 2017

Cuba receberá primeiro lote com 300 novos Lada


16 de março de 2017 Anna Tretiak, especial para Gazeta Russa
Maior fabricante de carros da Rússia retornará à ilha caribenha após 12 anos fora do mercado local. Especialista duvida, porém, do potencial de vendas no país.
Lada Vesta é um dos dois primeiros modelos que serão exportados ao país latino-americano Foto:Reuters
O principal fabricante de automóveis da Rússia, a AvtoVAZ, planeja entregar um lote com cerca de 300 carros Lada para Cuba. O fornecimento é esperado para maio.
“A última vez que vendemos carros novos para Cuba foi há 12 anos, então, a questão agora é como podemos voltar a esse mercado”, disse o presidente da AvtoVAZ, Nicolas Maure, em uma apresentação para empresas de transporte em Havana.
Por enquanto, serão comercializados apenas os modelos Vesta e Largus.
“A AvtoVAZ está interessada no mercado automotivo cubano porque há grande demanda; além disso, a proibição de importar carros novos foi levantada há pouco tempo”, explica Evguêni Ieskov, editor-chefe do site AvtoBusinessReview.
Durante meio século, a maior parte do mercado local de automóveis consistiu em carros norte-americanos e soviéticos de segunda mão. “Os cubanos conhecem carros russos, e isso conta a favor da AvtoVAZ”, acrescenta Ieskov.
Os primeiros modelos a chegarem à ilha estarão disponíveis para empresas de táxi, aluguel e turismo.
Se o teste for bem sucedido, e Cuba decidir comprar mais carros russos, um novo contrato deverá ser assinado já em 2018.
“O volume inicial de carros novos [300 unidades] parece ótimo para começar, e tudo dependerá dos resultados das vendas”, diz o editor.
De acordo com o site Lada.ru, o preço de varejo de um Lada Largus no mercado russo é, em média, 600 mil rublos (US$ 10.000), e de um Lada Vesta, 640 mil rublos (US$ 11.000). Os salários em Cuba são, entretanto, mais baixos do que na Rússia, e poucos residentes poderão ter recursos para investir em um carro novo.
“Em longo prazo, Cuba poderia se tornar um mercado importante para a AvtoVAZ, mas não o principal, porque os volumes de vendas não devem atender às necessidades de exportação do fabricante”, avalia Ieskov.
Em 2013, as autoridades cubanas cancelaram a proibição de importações e vendas de carros novos no varejo, em vigor desde 1959. Até então, os cubanos só podiam comprar e vender carros usados – e somente entre si. Embora os países da ex-URSS tenham fornecido alguns veículos durante o período anterior, essas importações eram basicamente de caminhões, ambulâncias ou e carros de bombeiros.